Popular Posts

© 2013 The Travelling Dandy. All rights reserved. PR XII-XII-MMXII. Powered by Blogger.

Labels

Ewy!

Top Slider

Portfolio

Labels

Contact

Name

Email *

Message *

Carousel

Instagram

About

Flickr

Facebook

Pages

Let's Walk Around... Amsterdam


En

Being one of the favorite pastimes of the dandies to walk around the city and to look closely at everyone who passes, observing what they wear, how they move, what they do and how they do it, Amsterdam seems to be one of the places where this exercise becomes more pleasurable. It is indeed a city very often described as a city of freedom, but this freedom goes far beyond the permissive law on "soft" drugs and sexual liberty, it feels on the spirit and allure of the people walking on the streets. Either on the businessman that rides his bicycle by morning, crossing the canals' bridges with his starbucks coffee on one hand, or on the hallucinated seventy-year-old lady, very colorfully dressed up, who walks her dogs in the afternoon, or even on the most ordinary family that goes to the park to enjoy a good time of leisure with their children on the sun. No matter the scenario we choose, the constant will always be an easy attitude and a disengaged smile. Happiness is truly present at all times. We can feel it in the air. Here we truly feel good to walk on the street and the concept of freedom takes new dimensions. It is no longer felt as a right to conquer. It is a given status. The respect for each other's space is institutionalized. No one will stare at no one with a disapproving look. If someone comments on someone else it will be most probably to give a compliment. Nothing is unusual, everything is welcomed, just make sure to respect others.



Amsterdam is definitely a labyrinthine city. Its very characteristic architecture and the symmetry of its canals gives a constant impression of "having been here already." But loosing oneself is exactly the thing to do here. The large unveiled windows are understated invitations for an indiscreet sneak and the crooked outline of the buildings defies our imagination and notion of stability. Having a coffee on the terrace of the Art Nouveau Hotel Americano can result in a very relaxing moment, after a morning walk around the fabulous floating flower market on the Singe Canal. In the afternoon try to meet some locals and make yourself invited for a picnic aboard a fancy small wooden boat, floating slowly along the canals.


As a renamed party city Amsterdam is also one of those that changes face as night falls. Colorful lights reflect on the water and double the frenetic movement of the streets. Here everything seems to have been planned for amusement. Even the city's coat of arms escapes the traditional shapes to result in a composition of red and black, supporting the suggestive three Xs (XXX), the St. Andrew's crosses, above the city's motto: "Heroic, Determined, Merciful."





But Amsterdam is not a city only reserved for the easy pleasures. It is also a very rich cultural centre. As a city that always welcomed all sorts of creative minds, being on the XVII century mainly supported by rich merchants that patronized the most talented artists and, after that, by the city's artistic tradition and bohemian and liberal ambiance so appreciated by them. On the Rijksmuseum we can contemplate breathtaking Rembrandts and Vermeers, as well as other remarkable names of the Dutch artis that gave their contribution to their country's historical and cultural register till our days. The Van Gogh Museum and The House of Anne Frank are two other popular spots that can't escape the flashes of the tourists. As for "living paintings", the famous Red Light District's windows are worth seeing at least once, even for the most prudes, as they already belong to the city's cultural scenario.


Amsterdam is a city of past, present and future. A perfect example of how a society should always adapt to its contemporaneity, as a process of evolution it can not escape. To conclude we suggest a new motto to this fantastic city, one that clearly illustrates its inner values: Freedom, Joy, Respect.


Pt


Sendo passear pela cidade e olhar as pessoas que passam um dos passatempos preferidos dos dandies, observando atentamente como se vestem, movem, o que fazem e como o fazem, Amsterdão revela-se uma cidade onde este exercício se torna especialmente compensador. É uma cidade muitas vezes apresentada sob a etiqueta da liberdade, mas esta liberdade vai muito além das leis permissivas relativamente a drogas "leves" e liberdade sexual, ela sente-se no espírito e aura das pessoas que passeiam pelas ruas. Quer seja no executivo que anda na sua bicicleta pela manhã, atravessando as pontes dos canais com um café starbucks na mão, ou na senhora de setenta anos, com uma ar alucinado, vestida e maquilhada de forma extravagantemente colorida, que passeia os seus cães pela tarde, ou mesmo na família mais normal que vai para o parque para desfrutar de bons momentos de sol e lazer com os filhos. Independentemente do cenário que escolhamos, a constante entre eles será sempre uma atitude descontraída e um sorriso descomprometido. A felicidade está genuinamente presente em todas as circunstâncias. Podemos senti-la no ar. Aqui sentimo-nos verdadeiramente bem por andar pelas ruas e sentimos que o conceito de liberdade tem uma nova dimensão. Ela não é um direito a conquistar. É antes um estado adquirido. O respeito pelo espaço do próximo está institucionalizado. Ninguém olha para ninguém com um olhar reprovador, se alguém interceptar outra pessoa na rua, o mais certo será para emitir um elogio. Nada é estranho, tudo é bem vindo. A única regra é o respeito pelos outros.


Amsterdão é uma cidade labiríntica. A sua arquitectura muito característica e os canais simétricos dão uma impressão constante de "já passámos por aqui." Mas perder-se é exactamente a coisa certa a fazer aqui. As grandes janelas descobertas são convites subentendidos a uma espreitadela indiscreta e a silhueta torta dos edifícios desafia a nossa imaginação e os nossos conceitos de estabilidade. Tomar um café na esplanada do magnífico Hotel Americano de estilo Art Nouveau pode resultar num momento agradável e descontraído, depois de um passeio matinal pelo fabuloso Flower Market, o mercado de flores flutuante no Canal Singe. À tarde tente conhecer alguns locais e fazer-se convidar para um picnic abordo de um dos charmosos barcos de madeira, flutuando lentamente pelos canais.

Como local de festa de renome, Amsterdão também é uma daquelas cidades que muda de rosto com o cair da noite. Luzes coloridas reflectem-se na água, que duplica o movimento frenético das ruas. Aqui tudo parece ter sido desenhado para a diversão. Até as armas da cidade fogem aos modelos tradicionais para se revelarem numa combinação de vermelho e preto, ostentando os sugestivos e míticos três Xs (XXX), as cruzes de Santo André, sobre a máxima da cidade: Heróica, Determinada, Misericordiosa.

Mas Amsterdão não é uma cidade que se reserva apenas aos prazeres fáceis. É também um centro cultural extremamente rico. Sendo uma cidade que sempre acolheu os espíritos criativos, sendo que no século XVII eram principalmente suportados pelos ricos comerciantes patronos da arte, que patrocinavam os artistas mais talentosos, e depois pela tradição artística da cidade e o seu ambiente boémio e liberal, tão apreciado pelos artistas. No Rijksmuseum podemos apreciar Rembrandts e Vermeers de cortar a respiração, bem como outros nomes notáveis da arte holandesa que deram o seu contributo para o registo histórico e cultural do seu país até aos nossos dias. O Museu Van Gogh e a Casa de Anne Frank são outros dois pontos de visita populares que não escapam aos flashes dos turistas. E em matéria de quadros vivos, as famosas montras do Red Light District são um ponto de paragem obrigatório até para os mais púdicos, sendo que já se tornaram num marco cultural da cidade.



Amsterdão é uma cidade de passado, presente e futuro. Um exemplo perfeito de como a sociedade se deve saber adaptar à sua contemporaneidade, como um processo de evolução ao qual não pode fugir. E para terminar gostaríamos de sugerir uma nova máxima para esta fantástica cidade, uma que nos parece revelar os seus valores intrínsecos: Liberdade, Alegria, Respeito.
< >

No comments:

Post a Comment

Share your opinion | Partilha connosco a tua opinião