Popular Posts

© 2013 The Travelling Dandy. All rights reserved. PR XII-XII-MMXII. Powered by Blogger.

Labels

Ewy!

Top Slider

Portfolio

Labels

Contact

Name

Email *

Message *

Carousel

Instagram

About

Flickr

Facebook

Pages

The Dandy And The Others


En
There is no best way to know the world but through its people. They are all as different ones from the others as the languages they speak. Sometimes even more. People have different colors of skin, they dress differently, they demonstrate feelings differently but they all have the general tendency to be curious towards the others. We are social beings. It fulfills us to be surrounded by people, to feel loved by them, to feel that we belong to something, but we also fear the other, a feeling that is cemented by ignorance. People are travelling the world now more than ever. They are performing the most healthy and enriching habit of life. To travel is to know, it's to get out of the dark, being face to face with different people, realities and cultures. It is getting closer to others by realizing their differences, and getting closer to ours at the same time, by seeing how much we are alike. There are so many places in the world, so many people. We've already seen so many in this Dandy's journey and so much more is to come. Packing, going to the airport, taking a plane, waiting for your luggage, getting to your house or hotel, all these are so stressful and tiring experiences and still, as one reminds them, we can not stop this feeling of nostalgia, of gratitude, of joy for being able to live that experience. The first time you get inside a plane to get out in a different country you are sure you gave a first step into a life-long journey that is never going to end. You know immediately that you will do it again. And you long and wait for that.

It is a great thing to find oneself lost in the middle of a big new city. It is great and it is frightful. It's very easy to feel alone and abandoned, for nothing seems to be ours. There is not our people, our streets, our buildings and our songs, nor our language. But it suffices to get inside a museum for the universal language of art starting speaking to us, filling the emptiness that was haunting us. It is also enough to get inside a pub for a beer, or into a terrace for a menthe tea and exchanging  a smile and some words with some one. Kindness is a language that speaks to all, straight to one's heart. And it is not difficult for us to, in some days time, starting feeling a certain familiarity and liking for the foreign language, no matter how exotic, austere or unfriendly it may have seemed to be. In the end, a place really is the people who live it. Just as all homes are different, depending on who lives in them.

So, as soon as you can, get inside a plane for the first, or the second, or the hundredth time and go. There is something wonderful waiting for you. Don't be afraid of loneliness. You will be with yourself and the world, your senses will awake and enhance, you'll find abilities you thought not to have and though you might feel small in such a big planet just think: we do are small, but our soul exceeds the Universe.

TD

Pt
Não existe melhor maneira de conhecer o mundo do que através das pessoas que o habitam. Elas são tão diferentes quanto as línguas que falam. Por vezes ainda mais. As pessoas têm diferentes cores de pele, vestem-se de maneira diferente, demonstram os sentimentos diferentemente, mas todos são tendenciosamente curiosos em relação ao outro. Nós somos seres sociais. Preenche-nos estarmos rodeados de pessoas, de nos sentirmos amados por elas, sentir que pertencemos a algo, mas também temos medo do outro, um sentimento que é cimentado pela ignorância. As pessoas estão a viajar pelo mundo mais do que nunca. Estão a fazer o que na vida há de mais saudável e enriquecedor. Viajar é saber, é sair da escuridão, é estar cara a cara com diferentes pessoas, realidades e culturas. É aproximar-se dos outros, compreendendo-os, e aproximarmo-nos dos nossos, identificando-nos com eles, percebendo a igualdade através da diferença. Há tantos lugares no mundo. Tantas pessoas. Já conhecemos tantos nesta aventura do Dandy e ainda há tanto mais para descobrir. Fazer as malas, ir para o aeroporto, entrar para o avião, esperar pela bagagem, ir para a casa ou hotel que temos à nossa espera - todas estas experiências são tão stressantes e cansativas e, ainda assim, ao olhar para trás não podemos de deixar de as ver com um certo sentimento de nostalgia, de gratidão e felicidade por termos podido viver aquela experiência. A primeira vez que entramos num avião para ir para um outro país temos a certeza que demos o primeiro passo de uma viagem que se vai repetir infinitamente ao longo da vida. Sabemos imediatamente que o vamos fazer outra vez e esperamos e ansiamos por esse momento.


É algo extraordinário encontrarmo-nos perdidos no meio de uma grande cidade que não conhecemos. è extraordinário e assustador. É muito fácil sentirmo-nos sozinhos e abandonados, uma vez que nada nos parece pertencer. Não há a nossa gente, as nossas ruas, os nossos edifícios e as nossas músicas, nem mesmo a nossa língua. Mas basta-nos entrar num museu para que a linguagem universal da arte comece a falar connosco, preenchendo o vazio que nos atormentava. Também seria suficiente entrar num bar para beber uma cerveja ou numa esplanada para um chá de menta, trocando um sorriso e algumas palavras com um desconhecido, ou até mesmo com a pessoa que nos serve. A gentileza é uma língua que nos fala a todos, directamente no coração. E não nos é difícil, apenas em alguns dias, começar a sentir uma certa familiaridade e carinho pela língua estrangeira, pouco importa o quão exótica, austera ou pouco amistosa nos parecia antes. No fim de contas, um lugar é verdadeiramente as pessoas que o habitam, tal e qual como todas as casas são diferentes, em função de quem vive nelas.

Assim sendo, logo que possas, mete-te dentro de um avião pela primeira, segunda ou centésima vez e parte. Há algo maravilhoso à tua espera. Não tenhas medo da solidão. Estarás contigo e com o mundo, os teus sentidos vão despertar e até ficar mais apurados, vais descobrir capacidades que nem sonhavas ter e, apesar de te poderes sentir pequeno num mundo tão grande, pensa apenas: somos realmente pequenos, mas as nossas almas excedem o Universo.

TD
< >

No comments:

Post a Comment

Share your opinion | Partilha connosco a tua opinião